Cartas para Bárbara: XVII

Bárbara, a tua liberdade me enche os pulmões, mas me causa medo.
você está sempre disposta a ir, sem garantias.
você se joga em lugares e pessoas, vive tudo.
essa tua sede de viver, corpo e alma, me deixa extasiada, me faz reavaliar conceitos, mas, essa mesma sede, me deixa desnorteada, me faz pensar sobre esse tanto que te quero, no quanto estou aqui e você, no mundo.
eu tenho me limitado em cartas curtas enquanto tenho tanto a dizer.
acho que digo aos poucos pra controlar essa avalanche dentro de mim.
eu tenho me imposto barreiras, Bárbara, enquanto você, você não tem limites.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maria

Cartas para Bárbara: XV