Cartas para Bárbara: XIII

hoje estava num ônibus e comecei a pensar em você.
de repente, me peguei sorrindo enquanto lembrava de nossas conversas; isso tem acontecido sempre, na verdade.
eu imagino diálogos, encontros, momentos tão doces que me roubam sorrisos antes que eu me dê conta.
mas hoje, hoje no ônibus foi diferente.
por um momento, meus pensamentos ingênuos deram lugar a pensamentos não tão inocentes, de modo que, em meio àquele ônibus cheio, só havia eu e você.
Bárbara, eu te beijei com paixão em meio a todos aqueles desconhecidos.
Bárbara, eu fechei os olhos e te quis como nunca. te quis como sempre.
eu te despi, ali.
eu te ouvi sussurrar palavras quentes e eu ardi, ali.
eu te disse frases inconfessáveis.
não sei qual foi o meu contraponto, mas quando abri os olhos e me vi, naquele lugar, inóspito, tão nua, me dei conta do quanto você me tem.
e fiquei rubra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cartas para Bárbara: XV

Maria

Cartas para Bárbara: XVII