terça-feira, 18 de maio de 2010

Boa educação, grandes valores

Entendemos por ética o conjunto de normas e princípios que norteiam a boa conduta do ser humano. Mas, será que nós somos éticos? A ética está realmente implantada em nosso cotidiano, e em todos os âmbitos da nossa vida? Ao menos deveria, porém, infelizmente é só mais uma palavra que está inclusa em nosso vocabulário e exclusa das nossas vidas.

Muitos atribuem ética à discrição, entretanto, o fato de um profissional não fazer comentários maldosos a respeito de outro em seu ambiente de trabalho é só uma das atitudes que podem ser tomadas como posicionamentos éticos, afinal, ética é conjunto. Valores que nos fazem cidadãos podem ser ditos como ética, mesmo sabendo-se que existem cidadãos antiéticos. Quando introduzimos a palavra ética e a palavra escola num mesmo contexto, nos vêm uma tempestade de ideias, exemplos, ou até mesmo recordações. Por diversas vezes encontramo-nos em situações em que desejamos fazer algo, mas não devemos, então abrimos mão de fazê-lo. Isso é ética.

Existem diversos exemplos que podem ser citados quando o assunto é “A ética no âmbito escolar”; respeitar as diferenças, assumir uma postura ativa sem agredir a terceiros, posicionar-se como aluno, empreendedor e maior interessado em conquistar, aprender e apreender. Enquanto profissional colocar-se diante dos educandos como facilitador, sujeito a aprender e aberto às mudanças, posicionando-se sempre com respeito aos ouvintes e aos que não estão presentes no momento de seu discurso, moldando sempre o seu aluno, tratando-o como um diamante que precisa ser lapidado, e como formador de opinião levá-lo a crer em um futuro melhor, conduzindo-o desta forma a praticar boas ações, crescer e descobrir.

Saber estabelecer-se diante das mais variadas situações sem infringir valores morais ou levantar falso testemunho é primordial para alguém que preza a moralidade. A honestidade é um princípio indispensável, na verdade, todos os princípios éticos são, pois, estão interligados; logo, quando alguém se auto-intitula ético, deve ser honesto, respeitoso, verdadeiro, solidário, entre outros adjetivos que rotulam um verdadeiro ‘praticante’ da ética.

Alguém que educa os seus filhos de modo a não roubar, exerce a ética, porém, quando retira dos outros o que lhes é lícito, está rompendo a moralidade, como na velha história: “faça o que eu digo, não o que faço”. Não posso respeitar os direitos alheios sem cumprir os meus deveres. Na ética não há controvérsias, não há meio termo.


Débora Andrade

4 comentários:

  1. O texto tá bom, uma noção excelente da ética, mas acho que pecou na conclusão, fugiu um pouco do tema que foi tão bem abordado durante o texto.

    Só não gostei mesmo do ultimo paragrafo, de resto excelente dissertação.

    Beijos meu anjo :*

    ResponderExcluir
  2. Olá Debora

    Seu blog é De +. Adorei sua visita, obrigada.

    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Ética, na vdd, é meio dificil ver hoje por aí!
    Seja no âmbito social, profissional, educacional
    Devemos nos policiar, pois às vezes exigimos direitos sem cumprirmos nossos deveres, como você disse no final!
    Adorei o post, é a 1° vez que vejo um blog tratar desse assunto

    Bjos
    *Voltei com o InspireVerde, quando der dê uma passadinha por lá ;*

    ResponderExcluir
  4. fiz um texto (creio eu muito bom já que tirei nota máxima) sobre ética no enem passado e concluí (assim como acho que vc o fez no fim) que ética é um tema controverso, que falta na sociedade por uma falha na formação do cidadão brasileiro.

    Pena não ter como recuperar meu texto do enem.. não lembro mais coisas que falei huauhauhhua

    ps: o visual daqui, a linha abaixo do título, o próprio título... vc fez do seu blog uma bela coluna de jornal. Gostei disso ^^ (faz tempo que não venho aqui, desculpa, por isso nao vi antes)

    ResponderExcluir

Deixe fluir...

Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...